» Notícias e Dicas

Consumo elevado de carne vermelha aumenta risco de diabetes em quase 50%

Notícias e Dicas (18/06/13)  Pessoas que ingeriram meia porção diária a mais do alimento tiveram 48% mais chance de ter a doença em um período de quatro anos

Comer mais carne vermelha diariamente pode aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2 a longo prazo. É o que revela estudo de pesquisadores da Universidade Nacional de Cingapura.

Os resultados indicam que aumentar o consumo em mais de meia porção por dia levou a um aumento de 48% no risco da doença nos quatro anos seguintes.

Em contraste, a redução do consumo de carne vermelha pela mesma quantidade conduziu a um risco 14% menor de desenvolver diabetes.

Segundo os pesquisadores, a ligação pode ser devido à gordura contida nas carnes vermelhas, principalmente as gorduras saturadas, o que significa que as pessoas devem ser encorajadas a escolher cortes mais magros.

A equipe de pesquisa analisou dados de três estudos anteriores dos EUA envolvendo cerca de 150 mil homens e mulheres, em que as dietas foram avaliadas por meio de questionários.

Os pesquisadores registraram mais de 7.500 casos de diabetes tipo 2. A equipe descobriu que, comparado com um grupo sem alteração no consumo de carne vermelha, aqueles que aumentaram meia porção por dia do alimento tiveram um aumento de 48% no risco de desenvolver diabetes durante um período de quatro anos.

"Aumentar a ingestão de carne vermelha durante um intervalo de quatro anos foi associado com um risco elevado de diabetes mellitus tipo 2 durante os quatro anos seguintes. Nossos resultados confirmam a solidez da associação entre carne vermelha e diabetes e adiciona mais uma prova de que limitar o consumo de carne vermelha ao longo do tempo confere benefícios para a prevenção da condição", conclui o pesquisador An Pan.

A pesquisa foi publicada na revista JAMA.
Fonte: isaude.net


ar2
Webmail Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google RSS Feeds
                    © 2013, Dra. Caroline Lira Nobrega